Escolha uma Página
Carnaval, samba e apito

Carnaval, samba e apito

Mergulhe no mundo do Carnaval e saiba mais sobre as ferramentas utilizadas durante o evento

 

O Carnaval é uma das festas populares mais celebradas no Brasil e hoje já faz mais do que parte da cultura nacional. Mas, para aqueles que não sabem, a sua origem não é brasileira e ela não é realizada somente em nosso país.

Com sua história embarcamos de volta para a antiguidade, tanto na Mesopotâmia, quanto na Grécia e em Roma. O nome “carnaval” tem sua base no latim carnis levale, que significa retirar a carne. No caso, a sua interpretação está relacionada ao jejum que deveria ser feito durante o período da quaresma, bem como dos prazeres mundanos, segundo a Igreja Católica.

Com isso, a partir do século VIII, em decorrência da quaresma, a celebração passou a ser realizada nos dias que antecediam o período religioso. Dessa forma a Igreja buscava permitir e manter uma data para que a população cometesse seus excessos, antes de entrarem na fase religiosa, que era restritiva.

No Brasil, as referências a essa comemoração datam do período colonial, onde uma das primeiras manifestações do tipo foi o entrudo. Um evento português onde, no passado, as pessoas jogavam água, ovos e farinha umas nas outras. Como ele acontecia antes da quaresma, acabava remontando à liberdade. Depois disso surgiram os cordões, ranchos, festas de salão, e as escolas de samba!

Após essa introdução, que tal aprofundarmos um pouco mais na rotina das escolas, tão tradicionais em nossa cultura?

 

Breve contexto sobre as escolas

 

Nascidas entre as décadas de 20 e 30, as escolas eram primitivas e rígidas, porém, com o passar do tempo, se tornaram mais flexíveis e começaram a oferecer oportunidades a jovens e crianças.

Durante um ano é feito um trabalho intenso na concepção e desenvolvimento do enredo, além de muitos treinos, para que sejam julgadas por somente uma apresentação. São milhares de pessoas que desfilam por suas escolas, entre as quais estão os sambistas, passistas, mestre-sala e porta-bandeira, destaques e também os integrantes da orquestra e bateria.

Hoje, no Brasil, as referências ficam com as escolas de samba tradicionais do Rio de Janeiro, como Beija-Flor e Mangueira, e de São Paulo, como Rosas de Ouro e Vai-Vai. Cada uma delas com suas próprias bandeiras e estilos, que se refletem no trabalho apresentado nos Sambódromos da Marquês de Sapucaí ou do Anhembi.

 

Música

 

O samba enredo de uma escola de samba é uma peça importante durante o Carnaval, pois oferece mais vida ao desfile e auxilia a garantir uma cadência para os integrantes que estarão desfilando. Sua criação está muito ligada a história que se quer contar na avenida.

Além disso, ele é um dos quesitos avaliados pelo júri, em cada uma das escolas. No caso, não há uma regra específica sobre a sua melodia ou letra, por exemplo, mas o que se demanda é que ele seja pertinente a apresentação que está sendo feita pela escola.

 

Alas

 

Todas as escolas são divididas no que se chamam alas. Cada uma é constituída por integrantes que estão fantasiados da mesma forma e desejam representar uma parte importante da história que está sendo abordada pela escola.

Além das pessoas, as alas se caracterizam também pela presença dos famosos carros alegóricos, que podem ou não ser motorizados, e que utilizam de muita tecnologia e inovação em efeitos especiais para trazer destaque frente as demais escolas. E são no topo desses carros que ficam os chamados “destaques”, ou seja, aquelas pessoas que estão fantasiadas com as vestes mais luxuosas.

 

Bateria

 

O coração da escola de samba! A composição de instrumentos fornecem a cadência e o ritmo para que os integrantes da escola de samba possam desfilar. Entre os principais estão a caixa, o repinique, o agogô, o surdo e o tamborim.

E no meio de todos eles, um pequeno item, que cabe na palma da mão, é o que faz toda a diferença. Sabe do que estou falando? Do apito!

Até por volta da década de 40, o apito era somente utilizado na organização dos desfiles, porém, no ano de 42, um importante compositor brasileiro, Herivelto Martins, trouxe a novidade de incluí-lo no meio do samba, como um agregador de ritmo. Desde então, os mestres de bateria tem adotado o apito como ferramenta para se comunicar com os integrantes, bem como puxar os instrumentos!

 

Demais partes da escola

 

Além das áreas que viemos mencionando até aqui, uma escola de samba dispõe, ainda, de algumas outras frentes, que são necessárias para garantir uma boa evolução durante o desfile.

Entre elas está a comissão de frente. É um grupo composto por cerca de doze integrantes, os quais lideram o desfile, com fantasias altamente elaboradas. O objetivo está em apresentar a escola para o público, normalmente com um espetáculo muito bem construído e que demanda muito treino.

Há também os casais de mestre-sala e porta-bandeira, que são os responsáveis por trazer a bandeira da escola. São mais de um em um desfile, porém, os primeiros que aparecem são os avaliados nesse quesito, pelos jurados que acompanham a escola. O mestre-sala dança no entorno da porta-bandeira, enquanto que ela faz movimentos em rodopio, que ajudam a evidenciar o trabalho das fantasias e a bandeira.

Por fim, existem as baianas. É um grupo constituído pelas mulheres mais velhas e que representam a tradição das escolas. Uma das alas mais importantes e obrigatórias! Os trajes utilizados por elas buscam remeter as antigas tias baianas dos primeiros grupos de samba.

E aí, gostou? Então não deixe de contar com a Apitos Rocket, referência na fabricação e comercialização de apitos de qualidade, e que pode te ajudar na hora de selecionar o melhor instrumento para sua prática de bateria, junto a sua escola ou roda de samba! Oferecendo os melhores apitos, procuramos sempre ajudar os nossos clientes encontrando a melhor opção para cada necessidade. Entre em contato conosco para solicitar um orçamento e aproveite para conhecer todos os produtos com a qualidade Rocket!